sexta-feira, 13 de abril de 2012

Coluna Politicando sobre Grupo Azulão - Tintim por Tintim

Descrevendo aula magna de sabedoria e ciência política para o Grupo Azulão e Marcos Alberto!
Normalmente as aulas magnas são realizadas em universidades de grande projeção acadêmica, utilizando-se todos os recursos pedagógicos e didáticos disponíveis.
Mas essa aula magna do título principal acima, por ser diferente, não vai usar giz e quadro negro, muito menos outros recursos modernos de ensinar. Referida Aula Magna é virtual de ciência política na tela da blogosfera informativa. Aula Magna politicamente correta, sim, para o Grupo Azulão, numa relação didático-pedagógica de professor-aluno.
Grupo Azulão e Marcos Alberto são alunos bons, mas muito indisciplinados no quesito ciência política. São como alunos que decoram todas as lições, mas esquecem da principal. Passam nas matérias e disciplinas mais importantes, mas ficam reprovados na de menor importância. São muitos bons nas ciências exatas, mas nada sabem das ciências sociais e humanas.
Grupo Azulão e Marcos Alberto, desde a eleição municipal de 2008, quando venceram a doutora Daniela, candidata oficial do então prefeito Acácio e de uma das facções do falido Grupo EMPA, entraram na história política e eleitoral de Nova Russas, como grupo hegemônico e mudancista.
Durante sua campanha eleitoral, quando consolidou uma coligação partidária bem ampla de [13 partidos, indo do stalinista PC do B ao socialismo cristão do PSC], embora se condene os métodos nada ortodoxos de se tomar e corromper partidos, Marcos Alberto foi genial. Conseguiu derrotar os 20 anos da corrupta e autoritária oligarquia EMPA.
Passou 10 anos para conquistar o poder político em Nova Russas, adotando táticas e estratégias inteligentes. Primeiro, em 2000, apoiou a candidatura de Acácio contra a reeleição de Iranede Veras, que foi esmagada nas urnas. Depois, apoiou a candidatura do Azulão Zé Alberto, mas sem permitir que ele fosse eleito.
Em 2008, numa pré-campanhas das mais inteligentes, consolidou seu nome em todos os setores sociais e populares. No Alto, entre os servidores públicos, no meio empresarial e comercial, e até nas bases de Chico Rosa e do Grupo EMPA. Eleito numa das campanhas eleitorais mais acirradas da nossa história.
Mas se foi um professor de muita sabedoria política para se eleger prefeito de Nova Russas, não teve a mesma competência professoral para governar. Deixou de ser professor e mestre em administração pública para ser um aluno rebelde e incompetente da ingovernabilidade.
Como prefeito de Nova Russas, durante 2 anos e quatro meses, Marcos Alberto cometeu os atos políticos mais insanos e menos inteligentes, embora tenha feito mais obras do que os 20 anos do Grupos EMPA. Atuando mais como burocrata intolerante do que como prefeito e político, Marcos Alberto cometeu erros políticos imperdoáveis.
Montou um secretariado medíocre de azulões fanáticos e sectários, ou de parentes e familiares, sem projetos inovadores e revolucionários para a administração pública. Secretariado burocrático e intolerante. Politicamente incorreto para comandar um município complexo como Nova Russas.
Sem uma boa assessoria, cercado apenas de azulões e de puxas saco, cometeu outro erro político. Obrigou sua base parlamentar na [Câmara] a reprovar as contas de governo do ex-prefeito de Nova Russas, Luís Acácio de Sousa, quando poderia ter feito um acordo com tal gestor -embora é bom dizer, também, que Acácio é também um político intransigente e sectário, muitas vezes-, que vieram aprovadas do Tribunal de Contas dos Municípios -TCM.
Outro erro grave. Em vez de fazer oposição aos grandes chefes e coronéis da política novarussense, como prefeito, Marcos Alberto, começou a perseguir os cabos eleitorais e militantes políticos sem muita expressão política. Transferiu e perseguiu servidores ligados a Acácio. Tratou mal alguns adversários. Não governou para todos.
Num dos seus atos mais extremos e condenáveis, cortou a pensão parlamentar, via Justiça, do ex-vereador Totonho Careca, que lhe permitia pagar tratamento do seu câncer renal agravado por septicemia. Embora, é bom que se diga, que os discursos nazi-fascistas e intolerantes do vereador Denílson contra seu governo e contra sua honra pessoal tenham provocado tal situação. Mas Marcos Alberto, sendo bem assessorado, teria conquistado o filho através do pai.
Se foi eleito com apoio de 13 partidos, durante seu mandato, não conseguiu governar com eles. De cara, perdeu logo o PMDB dos Diogo, cujos membros são parentes de sua esposa, Gracinha Mendes. Perdeu porque não permitiu autonomia ao PMDB na ocupação da secretaria de Saúde. Também perdeu o PT porque desprezou a liderança do vereador Sérgio Brito, eleito com mais de 1.000 votos, em detrimento dos militantes petistas Selena e Chico do Som. Em relação aos outros partidos, aconteceu algo parecido. Perto de ser afastado, tinha apenas o apoio de cinco partidos, dos 13 que o elegeram.
Marcos Alberto, que sempre chama todo mundo de 'Federal', durante o mandato como prefeito eleito de Nova Russas, não entendeu e não compreendeu o complexo modelo político novarussense. Exatamente porque a escola política de Marcos Alberto é totalmente diferente da nossa.
Sua escola política é a de municípios como Ararendá, Pires Ferreira e Ipu, cidadelas medievais perdidas no tempo e no espaço. Cujo modelo político é o confronto totalitário entre dois grupos sectários. Política do risco no chão. Política do adversário não conversar com o outro. Política do ou está 100% comigo, ou está contra. Municípios sem debate político e ideológico.
Problema maior de Marcos Alberto continua sendo o de não ter uma boa assessoria política. Seu principal assessor político é Sebastião Mano, que, com o telefone 24 horas no ouvido, passa o tempo todo vendendo estórias. Lorotando e fofocando. Sebastião Mano, embora seja político, não conhece a política na sua profundidade teórica e prática. Política dele é a de Ipaporanga, um dos municípios mais bárbaros na forma de fazer política. Principal guru político dele foi Chico Raimundo.
Estilo brincalhão e simpático de Marcos Alberto, que é uma marca pessoal dele, não é compreendido. Marcos é acusado de não levar nada a sério. De ficar brincando e fofocando o tempo todo, daí ser chamado de Marcos Fofoca. Poderia, melhor dizendo, relativizar tal estilo. Ainda é tempo.
Outra coisa. Grupo Azulão e Marcos têm um certo quê de seita. Fechados para o diálogo político. Herméticos. Exclusivistas. Embora tal comportamento político seja também o do maior parte dos grupos e facções políticas de Nova Russas.
Tais críticas em forma de aula magna não são nada contra. Mais um guia politicamente correto para orientar e coordenar as ações políticas de Marcos Alberto e do Grupo Azulão, hoje favoritos na disputa pela prefeitura de Nova Russas. Orientação para que, quando Marcos Alberto, for eleito novamente prefeito, não cometer os mesmos erros.
Pois, mesmos com seus erros, Marcos Alberto, nos dois anos e quatro meses, em que ficou como prefeito, fez mais obras do que os 20 anos do Grupo EMPA. Já comparar Marcos Alberto com o prefeito tampão, Paulo Evangelista, em termos de obras, seria como comparar Deus com sabugo. Até agora, Paulo Evangelista não fez obra importante alguma.
Espero que minha aula magna tenha sido aprovada pelo Grupo Azulão e por Marcos Alberto, visando melhorar o relacionamento político deles com os demais setores políticos. 
Que Marcos seja mais politicamente correto. Tenho dito!
_________________________________
Explicando origens do Grupo Azulão
Teria surgido, segundo seus membros, a partir de uma visita do então senador Sérgio Machado, quando todos vestidos de azul, foram chamados de azulões. Criado em 2000, quando apoiaram a eleição do prefeito Acácio contra seu aliado de Grupo EMPA, Chico Rosa.
Grupo Azulão tem simbologias, idéias próprias, modo único de fazer política, líderes fortes, militantes ativos etc. Sua principal base de apoio está na CDL e nos seus empresários e comerciantes, principais financiadores das campanhas de Zé Alberto e de Marcos Alberto.
Prefeituráveis dos Azulões
Se Marcos Alberto não puder, surgem outras lideranças importantes do Grupo Azulão. Esposa dele e profissional do Direito muito competente, Gracinha Mendes. Advogado Flávio Martins, um dos mais conceituados advogados previdenciários da região, ou Zé Alberto -que já foi candidato a prefeito do grupo, em 2004.
Preferido nas pesquisas
Impressionante. Marcos Alberto está sempre em primeiro lugar nas pesquisas. Quanto mais batem nele, mais ele cresce.
Midia mentirosa
Processo em que foi Marcos Alberto foi afastado era das obras em torno de 2 milhões. Desvio de 15 milhões foi a maior mentira da midia brasileira em todos os tempos.
Marcos Alberto até debaixo d'água!
São os militantes azulões mais radicais: Simundo, Jorjão, Reginaldo Silva, Karla e Evandro Eulaia, Zé Vermelho, Zé do Juvêncio, Zé Librina, Didico Veras, Chico Antonio Priquitinho, Ajax Veras, Chicão Porfírio, Pepita, Chicão da Madeireira, Bené Santa entre outros.
Talibã remunerado
Pepita, ex-rosista radical e agora Marcos Alberto, não faz nada de graça. Marcos paga suas contas de água e de luz.
Reginaldo Silva: reflexões
Até por ter nascido em Olho D'água Seco, vila primitiva entre Ipueiras e Poranga, Reginaldo Silva pode ser chamado de um vencedor. Reginaldo Silva é um professor preparado e de grandes conhecimentos em História. Também conseguiu a formação acadêmica e até a pós no Mestrado, embora defendendo sua dissertação numa universidade do Paraguai.
Mas como intelectual, Reginaldo Silva precisa expor publicamente suas idéias. Reginaldo Silva fica muito no anonimato. Quando escreve textos literários em blogs, esconde-se no anonimato dos pseudônimos, querendo imitar Fernando Pessoa, mas sem a qualidade literária e poética deste. 
Função do intelectual é criticar a sociedade. Reginaldo não faz nada disso. Todo intelectual é adversários dos governos. Reginaldo sempre foi governista. O intelectual expõe publicamente seus pontos de vista e suas teses. Reginaldo prefere divulgá-las no anonimato. 
Mais. Reginaldo Silva, que foi secretário do Meio Ambiente, poderia defender Marcos Alberto dos ataques dos adversários. Não faz. Vive calado. Isolado no canto. Poderia ser muito mais útil ao Grupo Azulão.
Karla: reeleição garantida
Tudo indica que a vereadora Karla Loyola, do PC do B, pode ser reeleita novamente. Mudou sua forma de fazer política. Está menos autoritária e intolerante. Muito diferente da Karla presidente da Câmara, quando o poder subiu-lhe à cabeça, cometendo as maiores barbaridades, como cassar mandatos de vereadores com decreto da ditadura militar. 
Também influenciava o marido Evandro Eulaia, ciumento patológico, a ameçar as pessoas de morte. 
Será, certamente, um dos 13 vereadores eleitos no próximo ano. Reeleição garantida, caso continue assim.
Teixeira: tribuno do povo!
Vereador Teixeira, eleito em 2008 representando a juventude e famílias importantes do distrito de São Pedro, é uma das boas revelações da política novarussense. Boa presença na tribuna da Câmara, sempre defendendo os interesses maiores da população novarussense. Teixeira é realmente o jovem que veio para mudar. Parabéns, Teixeira!
Túnel do tempo
Em que museu do IBAMA estão as baladeiras de matar azulões do doutor Chico Rodrigues?
É o novo!
Sujeito lembra que, em 1994, ano do lançamento do Plano Real, Marcos Alberto deu um presente de cinquenta reais para ele.
_________________________________
Colunista: Professor Tim é pré-candidato a prefeito de Nova Russas pelo Partido Verde - PV. 

3 comentários:

  1. matias simeão em 13/04/2012
    gente, gostaria de convidar a todos municipes de nova russas, para nos unirmos em corrente de oração pela recuperação do prefeito Paulo Evangelista, que teve que ser submetido a tratamentos cirúrgicos da tarde de ontem, certo de que posso contar com o ato de fé de todos. agradeço.

    ResponderExcluir
  2. PROFETA em 12/04/2012
    Pois é meus amigos. Nova Russas ainda sofre os efeitos da eleição mal sucedida. Elegeram o MArcos Alberto, que foi aquele desastre, Ao ser cassado seu vice assumiu e agora surge a noticia de que o mesmo se enxontra operado, o que o deixa práticamente fora da campanha eleitoral, pois terá de cumprir uma convalecência prolongada e não aguentará a corrida de uma campanha. Nova Russas continua sem sorte...-

    ResponderExcluir
  3. Michely de Sousa Martins13 de abril de 2012 12:25

    michelly sousa martins em 12/04/2012
    Caro Areton, vou comprar logo meu exemplar(cd)..Lamento não ter tido o lançamento e só posso te dizer que sua obra ficará com certeza como um excelente subsídio da história recente do município...e eu acho que algumas das pessoas que se acham entendidas e que defendem certas pessoas como M.A. deveriam ler seu livro correndo..

    ResponderExcluir